Canal online cada vez mais importante no media mix

Impossível de ignorar, a Internet é uma aposta cada vez mais comum nas estratégias de marketing, principalmente na conjugação com outros meios. Isobar, Sonae, GoBulling e Ford mostraram alguns exemplos de sucesso no Fórum Digital Advertising.

O que poderão ter o Fairy Roupa, o Mega Pic-Nic do Continente, o Ford Focus 1.0 litros EcoBoost e o GoBulling em comum? Campanhas publicitárias que ficaram a dever grande parte do seu sucesso ao canal online.

No lançamento do Fairy Roupa, o desafio era chegar a um maior número de potenciais consumidores sabendo que a TV é o meio que mais audiência tem, “mas cada vez mais fragmentada pelo multiscreen e pelo multitasking”, sublinhou Nuno Amaral Frazão, CEO da Isobar.

A aposta no digitalmedia, o segundo meio com maior consumo de horas a seguir à TV, produziu os resultados ambicionados: “mais 106.772 novos contactos únicos no target”.

Além de transmitido em televisão, o mais recente Mega Pic-Nic do Continente contou com o “botão prima vermelho MEO” para uma transmissão em directo - também através do portal SAPO - por quatro câmaras que fizeram toda a cobertura do evento.

A campanha resultou em mais de 252 mil acessos à aplicação, 629 mil acessos às câmaras, 394 mil contactos e um tempo de permanência em média de 11 minutos.

“O online oferece o poder de medir e o poder de testar coisas novas”, defende Ana Margarida Santos, Digital Marketing Manager, da Sonae MC, “além da oportunidade de podermos melhorar sempre as nossas opções”.

A ideia comum entre os vários casos de sucesso apresentados é que a integração do online pode trazer maiores resultados às campanhas. “O digital colmata as lacunas que todos os outros meios têm oferecendo mais empowerment e engadgment”, referiu Pedro Monteiro.

O Brand and Sponsorship manager da Ford Motor Company também considera que estamos a deixar passar as mais-valias do digital. “O digital permite trabalhar marca e fazer o tracing – ver a influência que tem no cliente”., acrescentou, sustentando a sua opinião com o caso prático do lançamento do Ford Focus 1.0 litros EcoBoost.

A campanha do novo motor a gasolina do modelo automóvel passou por uma estratégia “TV Mais”, ou seja televisão suportada em ecrãs multiscreen digitais e obteve “resultados fantásticos em termos de reach”: 1,8 milhões de impactados, 705 mil visualizações a 100%, com mais de 300 marcações de test driving, 84 das quais convertidas em compras efectivas do modelo.

Pedro Monteiro sublinha também o menor investimento (apenas 10% do investimento tradicional) com o mesmo índice de recordação. Defende por isso que o online é o equilíbrio entre todos os meios que deve persistir. “Consegue encontrar lacunas e dá ferramentas aos marketeers que devem ser aproveitadas”.

O lançamento com recurso aos meios digitais da marca GoBulling, do Banco Carregosa, também é uma história de sucesso. Aqui o online somou a maior parte do investimento (70%), até porque estamos a falar de um serviço financeiro online.

A campanha envolveu desde banners, a aplicações específicas para smartphones, para tablets, email marketing, widgets, etc. Os resultados são “muito satisfatórios”, afirma Tiago Flemming.

Numa estratégia do género, o director de marketing do Banco Carregosa considera importante a definição clara de um plano de investimento digital logo de início. Aconselha também “um conhecimento profundo das ferramentas digitais, foco na optimização das campanhas e muita dedicação às métricas”.

Fonte: ACEPI

Conheça as soluções de comunicação digital Openquest

Voltar
webmail
login